Ascânio Vilaverde Moura

Autor

Um engenheiro cível que resolve escrever crônicas

Por João Clauveci Muruci | Editor

 

Ascânio Villaverde Moura, torcedor entusiasmado do Internacional, engenheiro civil e alegretense da cidade alta, resolve sem mais nem menos escrever. Parece estranho que alguém saia da prancheta tomada de cálculos para transitar sobre o terreno incerto das palavras. Parece. Mas quando lembramos que antes ele foi um ouvinte atento de muitas histórias contadas por seu pai, então tudo começa a ter sentido.

As crônicas publicadas em “Um padre castelhano de batina passou por Alegrete”, revelam um relato preciso e bem humorado da micro-história de sua cidade natal, mais precisamente das melhores anedotas, hoje transformadas em memórias escritas com o sabor de quem as viveu intensamente, ou as ouviu com o olhar de um futuro contador de histórias.

Quem as ler, vai perceber o estilo jocoso de um bom mentiroso, como são na verdade todos os escritores. Mas mentir assim é saudável. Levar-nos ao prazer de uma boa leitura, envolvendo pessoas que conhecemos é viver duas vezes. E esse autor vai ser absolvido de nos mentir tão bem.

​​Foto Maria Helena Ramos