A Angústia

de uma Alma

A Angústia de uma Alma evoca o sentimento de solidão espiritual que podemos sentir mesmo rodeados de seres amados. Assim nos transmite Mike no seu livro em poemas tão duros

Por Julio Souto Salom

Professor do Coletivo de Educação Popular – COLEP

O livro "A Angústia de Uma Alma" é a continuação do quarto livro de Mike, desta vez mais volumoso e com uma edição mais acabada. Para quem conhece a força, a energia sem desfalecimentos e a constante alegria de Mike, pode até surpreender o título e a temática dos poemas deste livro. Contrastando com seus livretos anteriores, A angústia de uma alma é um poemário triste e tocante, que nos comove pela expressão dramática do sofrimento.

 

A angústia cantada evoca às vezes o sentimento de solidão espiritual que podemos sentir mesmo rodeados de seres amados. Assim nos transmite em poemas tão duros como “Triste realidade” ou “Minha sombra”. Outras vezes evoca o desânimo e o cansaço contra as misérias do mundo, quando o combustível da indignação parece esgotar-se e só resta um fundo pesar. Alguns poemas como “Mas tudo para mim era miséria”, “O pássaro” ou “Natureza”, expressam esse desalento paralisante, com a constatação da destruição que nunca acaba.

 

Em outros poemas, ainda, aparece a gélida morte como a sombra que acompanha sempre a vida. Mike dedica alguns poemas a seres amados que já se foram, como a sua prima ou um amigo que morreu afogado. Em outras ocasiões, a morte aparece como espectro hamletiano ou o delírio febril do jovem Werther, e se fala da morte como “um grande sonho sem despertador”. 

É angustiante mergulhar em esta obra poética, mais sabendo que foi fruto do sofrimento honesto do autor. Mas sabemos que a vida, com suas luzes e sombras, é também assim, torta e áspera, e as dores se abrem passo nas páginas tanto quanto o amor e a felicidade. É essa uma poesia amarga de se engolir, pouco frequente em tempos de instagrams sempre empolgados, de poesias de slams carregadas da força e de fúria mas nunca pra baixo, e aparentemente sem tempo nem paciência para escutar da dor humana e tentar compreender os seus mistérios.

 

Também é com a poesia, escutando os cantos tristes sobre a solidão, a miséria e a morte, que aprendemos a estar juntos para saber lidar com elas. 

Se esse livro é um grande exorcismo contra A angústia de uma alma, juntemo-nos a Mike nesta leitura, para cuidar-nos mutuamente das angústias de poetas e leitores.