Agenda | Cinema | Cine Iberê | Porto Alegre

Vida e obra do artista William Kentridge são tema do próximo Cine Iberê

No dia 18 de fevereiro o artista visual James Zortéa comenta o filme Certas Dúvidas de William Kentridge, do cineasta Alex Gabassi. A entrada é franca.

No próximo domingo, 18 de fevereiro, a Fundação Iberê Camargo exibe o documentário Certas Dúvidas de William Kentridge, do cineasta Alex Gabassi. A sessão do Cine Iberê será comentada pelo artista visual James Zortéa e acontece a partir das 16h, com entrada franca.


O documentário acompanha o artista visual sul-africano William Kentridge – um dos mais importantes nomes da arte contemporânea mundial – por Johannesburgo, sua cidade natal, e pelo Brasil. Kentridge fala do impacto da paisagem e das contradições sociais sobre sua obra e comenta a vida de personagens como Felix Teitlebaum, seu alter ego.

Certas Dúvidas de William Kentridge mostra que o artista transita com a mesma fluidez por diferentes meios, numa combinação de referências e técnicas que torna único o seu trabalho em filmes, desenho, instalações, teatro, ópera. Realizado em vídeo digital e super-8 ultragranulado (numa referência aos desenhos a carvão do artista), o filme mostra ainda a montagem de uma instalação inédita de peixes virtuais e um carro real, comissionada no ano 2000 pela Associação Cultural Videobrasil para a Mostra Africana de Arte Contemporânea, em São Paulo.

 

Assista ao trailer:

A exibição integra o programa Eclipse - atividade cinematográfica paralela à exposição Sol Preto, e tem curadoria de Marta Biavaschi.


Alex Gabassi é produtor e diretor independente. Foi assistente de direção e stage manager da companhia inglesa de teatro físico Theâtre de Complicité, em Londres. Produziu instalações e uma mostra do artista americano Bill Viola para o Festival Internacional de Arte Eletrônica Videobrasil (1992). Dirigiu séries e especiais para a MTV Brasil. Realizou videoclipes para Marisa Monte, Caetano Veloso, David Byrne e Carlinhos Brown. Para a série Videobrasil Coleção de Autores, dirigiu o documentário Certas Dúvidas de William Kentridge (2000), co-dirigiu Rafael França: Obra como Testamento (2001), junto com Marco Del Fiol, e dirigiu Um Olhar Sobre os Olhares de Akram Zaatari (2004). Dirigiu também o documentário Sobre o Nome (2001) e filmes publicitários.


James Zortéa é artista visual, Mestre em Poéticas Visuais pesquisando a intersecção entre vídeo e desenho. Integrou o coletivo de artistas do Atelier Subterrânea. É docente de Animação nos cursos de Realização Audiovisual da UNISINOS e Produção Audiovisual da ULBRA CANOAS. Recebeu Bolsa de Pesquisa Artística, concedida pelo FUMPROARTE – Prefeitura de Porto Alegre, para o desenvolvimento de estudos em animação do projeto Confronto entre desenhos: traços de carvão e projeção digital animada dividem espaço no ateliê do artista (2010); obteve Menções Honrosas pela produção do audiovisual Acasos lançados ao vídeo, no Festival Conexões Tecnológicas (2008) e pelo vídeo Pequenos Reparos, no Festival de Vídeos para Mídias Móveis ARTEMOV 2008; recebeu os Prêmios Açorianos de Artes Plásticas na categoria Produção Alternativ, pelo trabalho coletivo realizado pelo Atelier Subterrânea em 2008 e Melhor Exposição Coletiva de 2006, com a instalação coletiva chamada Sala dos Passos Perdidos.

Serviço


Cine Iberê
Domingo, 18 de fevereiro, às 16h – Exibição do filme Certas Dúvidas de William Kentridge, de Alex Gabassi (52min, 2000, Brasil).

Sessão única e comentada por James Zortéa.

Entrada franca.
Endereço: Fundação Iberê Camargo - Avenida Padre Cacique, 2000.
Transporte: As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.

Sobre a Fundação Iberê Camargo


A Fundação Iberê Camargo é uma instituição privada sem fins lucrativos, criada em 1995, a partir de um desejo do próprio artista e sua esposa, Maria Coussirat Camargo, e com o apoio de amigos e empresários de Porto Alegre.


Há 22 anos, a Fundação desenvolve ações culturais e educativas com a missão de preservar o acervo, promover o estudo, a divulgação da obra de Iberê Camargo e estimular a interação de seu público com arte, cultura e educação, por meio de programas interdisciplinares. Seu acervo é formado por um núcleo documental, composto de documentos e imagens relacionadas à vida e à obra do artista, e um núcleo com a coleção Maria Coussirat Camargo, que inclui pinturas, gravuras, guaches, desenhos e estudos de Iberê Camargo, obras que o casal acumulou durante a vida.


A sede da instituição, inaugurada em 2008, foi projetada pelo português Álvaro Siza, um dos arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O projeto recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2002) e é mérito especial da Trienal de Design de Milão.


Referência arquitetônica na cidade de Porto Alegre, o prédio possui salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, ateliê de gravura, ateliê do educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Iberê Camargo


[Restinga Seca, 1914 – Porto Alegre, 1994] - Iberê Camargo é um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20. Autor de uma extensa obra, que inclui pinturas, desenhos, guaches e gravuras, Iberê nunca se filiou a correntes ou movimentos, mas exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual brasileiro.


Dentre as diferentes facetas de sua vasta produção, o artista desenvolveu as conhecidas séries Carretéis, Ciclistas e As idiotas, que marcaram sua trajetória. Grande parte de sua produção, estimada em mais de sete mil obras, compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.