Agenda | Exposição | Fundação Iberê Camargo | Porto Alegre

SOL PRETO

Fundação Iberê Camargo inaugura exposição do artista Daniel Frota.

Sol Preto traz instalações, esculturas, gravuras e vídeo que abordam o conflito entre as crenças religiosa e científica. A Mostra pode ser visitada de 03 de fevereiro a 08 de abril, com entrada franca.

No dia 03 de fevereiro, a Fundação Iberê Camargo inaugurou a exposição Sol Preto, do artista carioca Daniel Frota. A abertura será marcada por uma visita guiada pelo próprio artista, às 16h. A entrada é franca.

A mostra parte da pesquisa do artista sobre uma expedição científica realizada em 1919, na cidade de Sobral, no sertão do Ceará, que teve o objetivo de observar e documentar um eclipse solar. As instalações, esculturas, gravuras e vídeo presentes na exposição investigam o impacto causado pela presença dos pesquisadores britânicos na população local, evocando o choque entre crenças religiosas e científicas, e mostrando as relações de poder estabelecidas pelo contraste entre o avanço do conhecimento científico e a precariedade socioeconômica da região. Com curadoria do artista, Sol Preto fica em cartaz até 08 de abril (confira horários e outras informações no serviço).

Situado entre a pesquisa histórica, a investigação plástica e a especulação filosófica, o projeto de Daniel Frota se debruça sobre o eclipse solar que fez o mundo escurecer por uma fração curtíssima de tempo, e que relativizou não apenas as leis da física formuladas até então, mas toda a dinâmica política e cultural daquele povoado. A expedição científica dos astrônomos britânicos em Sobral resultou no início da física moderna, inaugurando a unificação das noções de espaço-tempo, e seu registro fotográfico foi usado na comprovação da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein.

Mas, para além das questões científicas, o interesse do artista e sua pesquisa reside na colisão entre dois mundos, que acabou por resultar em um sem-fim de causos e anedotas reveladoras desse episódio histórico. Muito supersticiosos, os moradores de Sobral passaram a suspeitar que o eclipse anunciaria o fim do mundo, pestes e inundações. A imprensa local da época, em vez de desfazer a mística em torno do eclipse e da expedição de astrônomos, optava por “traduzir” o discurso científico em textos “informativos” que, em alguma medida, acabavam por reiterar o fundamentalismo catolicista.

O conflito entre as crenças religiosa e científica aparecem, por exemplo, no vídeo Sol preto (HD, 23 min), que explora os acervos do Museu do Eclipse e do Museu Dom José, ambos localizados em Sobral. Com linguagem documental, a obra narra a história por meio de um duelo entre dois repentistas, que improvisam versos sobre a expedição, o eclipse, o medo, o atraso e o início da modernidade.

Para o curador da Fundação Iberê Camargo, Bernardo de Souza, os descompassos do processo histórico que embalam a humanidade apenas se tornam ainda mais evidentes na obra de Daniel Frota. “Esclarecedora em seu mutismo aparente, Sol Preto nos lança em uma viagem no tempo e no espaço, numa dimensão que corre em paralelo a essa que chamamos presente”, afirma em texto crítico sobre a exposição.

A exposição Sol Preto foi exibida pela primeira vez em São Paulo/SP, no ano de 2017. Selecionada para a Temporada de Projetos do Paço das Artes, a mostra foi apresentada no MIS – Museu da Imagem e do Som. Confira aqui a entrevista realizada pelo curador Bernardo de Souza com o artista.

A Fundação Iberê Camargo tem o patrocínio de  Itaú, Grupo GPS, IBM, Oleoplan, Agibank, BTG Pactual, Banrisul e apoio SLC Agrícola e DLL Group, com realização e financiamento do Ministério da Cultura / Governo Federal.

 

Sobre o artista

Daniel Frota (1988, Rio de Janeiro) é formado em design gráfico pela PUC-Rio, tem pós-graduação pela Escola Nacional de Belas Artes de Lyon, França, e mestrado em Tipografia e Práticas Editoriais pelo Werkplaats Typografie, do ArtEZ Institute of the Arts, em Arnhem, Holanda. 

Entre as exposições recentes, destacam-se a exposição individual Irrealis Mood (2016), na Fondazione Sandretto Re Rebaudengo, em Turim, Itália; e as coletivas Paraphernalia (2016), no Musée des Confluences, em Lyon; e Panoramas do Sul (2015), no 19º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, em São Paulo.

 

Serviço:

Exposição Sol Preto

Artista: Daniel Frota

Visitação: de 03 de fevereiro a 08 de abril de 2018

Horário: sábados e domingos, das 15h às 20h

Local: Fundação Iberê Camargo – 4º andar

ENTRADA FRANCA

Endereço: Fundação Iberê Camargo - Avenida Padre Cacique, 2000

Transporte: As linhas regulares de lotação que vão até a Zona Sul de Porto Alegre param em frente ao prédio, assim como as linhas de ônibus Serraria 179 e Serraria 179.5. É possível tomá-las a partir do centro da cidade ou em frente ao shopping Praia de Belas. O retorno pode ser feito a partir do Barra Shopping Sul, por onde passam diversas linhas de ônibus com destino a outros pontos da cidade.

 

Site: www.iberecamargo.org.br 

Fanpage: www.facebook.com/fundacaoiberecamargo

Instagram: @ f_iberecamargo

Visita virtual Google Artes & Culture - https://goo.gl/wYr75v

 

 

Sobre a Fundação Iberê Camargo

A Fundação Iberê Camargo é uma instituição privada sem fins lucrativos, criada em 1995, a partir de um desejo do próprio artista e sua esposa, Maria Coussirat Camargo, e com o apoio de amigos e empresários de Porto Alegre.

Há 22 anos, a Fundação desenvolve ações culturais e educativas com a missão é preservar o acervo, promover o estudo, a divulgação da obra de Iberê Camargo e estimular a interação de seu público com arte, cultura e educação, por meio de programas interdisciplinares. Seu acervo é formado por um núcleo documental, composto de documentos e imagens relacionadas à vida e à obra do artista, e um núcleo com a coleção Maria Coussirat Camargo, que inclui pinturas, gravuras, guaches, desenhos e estudos de Iberê Camargo, obras que o casal acumulou durante a vida.

A sede da instituição, inaugurada em 2008, foi projetada pelo português Álvaro Siza, um dos arquitetos contemporâneos mais importantes do mundo. O projeto recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2002) e é mérito especial da Trienal de Design de Milão.

Referência arquitetônica na cidade de Porto Alegre, o prédio possui salas expositivas, átrio, reserva técnica, centro de documentação e pesquisa, ateliê de gravura, ateliê do educativo, auditório, loja, cafeteria, estacionamento e parque ambiental projetado pela Fundação Gaia.

Iberê Camargo

[Restinga Seca, 1914 – Porto Alegre, 1994] - Iberê Camargo é um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20. Autor de uma extensa obra, que inclui pinturas, desenhos, guaches e gravuras, Iberê nunca se filiou a correntes ou movimentos, mas exerceu forte liderança no meio artístico e intelectual brasileiro. Dentre as diferentes facetas de sua vasta produção, o artista desenvolveu as conhecidas séries Carretéis, Ciclistas e As idiotas, que marcaram sua trajetória. Grande parte de sua produção, estimada em mais de sete mil obras, compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.